Paredões do BBB (Endemol) x Criança Esperança (UNICEF)

Não sei se já falaram sobre a diferença de arrecadação entre as doações para o Criança Esperança e os votos dos paredões no Big Brother Brasil (BBB). Talvez seja assunto até mais que "batido", ainda assim gostaria de levantar uma questão que sempre me vem em mente quando por livre e espontânea pressão tenho que ver e/ou ouvir a chamada na "Golobo"  ao mandar votar no tal "paredão" (Eles não pedem. Você nunca vai ouvir "para votar em fulano, favor ligar para..." e sim "ligue para...").

Devo salientar, porém, que não se trata de crítica à emissora, longe disso. Afinal, a "toda poderosa" do "muito além do cidadão Kane" só está fazendo aquilo que a maioria das outras emissoras também fazem: buscando ampliar sua audiência, mesmo que para isso tenha que se utilizar de apelos psicológicos que incitem as tendências mais latentes no ser humano - tendências à ambição, à vaidade, inveja, maledicências, julgamentos, intolerâncias e outros tantos comportamentos não salutares ao indivíduo e à sociedade - e, dessa forma, obter lucro, muito lucro!

Não, jamais iria aqui fazer julgamentos sobre ela. Afinal, a mesma que faz o BBB também faz o Criança Esperança. A mesma que nos finais de semana nos empurra goela abaixo "movimentos culturais", tais como o "rebolation" e o "funk" com mensagens e coreografias repletas de apelos sexuais, também faz um Globo Repórter indignadíssimo com o crescente índice de gravidez de adolescentes e da prostituição infantil no Brasil (para refletir).

Deixo que estas críticas sejam feitas pelos sacerdotes donos daquelas emissoras que invadem nossas casas com notícias de sangue fresco, brigas de família e filmes violentíssimos. Que tais críticas também sejam feitas por intelectuais da esquerda, direita, esquerda, direita, esquer... Afinal, sou um reles mortal pecador e povo...

...e povo que sou, não tenho como foco a emissora, mas sim o telespectador (que é povo tanto quanto eu).

A questão é: se o povo brasileiro é considerado o mais altruísta, mais caridoso e com mais "etceteras" virtudes do planeta, como explicar as enormes diferenças entre suas participações no Criança Esperança  e nos paredões do BBB?

Um mês inteiro do Criança Esperança 2011 arrecadou R$ 18,5 milhões, "um recorde em 26 anos de projeto" (uau!), segundo a  notícia do Jornal Nacional no vídeo abaixo:


Já a média da votação nos paredões do BBB12, segundo o site Mundo Atualizado, tem sido de "30 milhões de votos por semana, entre votos pela internet, SMS e telefone" (grifo nosso).

Se levarmos em consideração que a maioria dos brasileiros ainda não tem fácil acesso à internet e que grande parte tem celulares e/ou telefones fixos, podemos concluir que no mínimo 3/4 dos votantes utilizam o celular ou telefone para votar a um valor de R$ 0,31 mais impostos por minuto (via internet é "de grátis"). Estimando que o tempo máximo para cada voto seja de apenas um minuto (possivelmente demore mais que isso), façamos as contas:

30.000.000 : 4 x 3 = 22.500.000 votos pagos

22.500.000 x 0,31 = R$ 6.750.000,00 por semana (numa única noite)

6.750.000 x 4 = R$ 27.900.000,00/mês

Os telespectadores gastam em média R$ 27,9 milhões por mês votando no paredão do BBB, isso sem contabilizar os impostos. Como não encontrei qual o percentual desses impostos, vou considerar que, apesar deles serem pagos pelo votante, quem repassa para o governo são as empresas, isto é, a emissora e as operadoras. Pessoas jurídicas que são, os impostos devem girar em torno de 17%. Então:

17% de R$ 27.900.000,00  = R$ 4.743.000,00 (fatia do governo)

R$ 27.900.000,00 + R$ 4.743.000,00 = R$ 32.643.000,00/mês

Como podemos notar, com os impostos o valor cresce consideravelmente. Mas não pára por aí. Diferente do Criança Esperança, com duração de apenas um mês, o BBB dura cerca de três meses, o que dá um total de aproximadamente R$ 100 milhões gastos pelos telespectadores neste período.  Isso apenas com o "nobríssimo" ato de tirar ou manter os participantes  no BBB de acordo com a simpatia ou a antipatia que estes lhes inspirem.

 Não importa aqui saber se a emissora recebe 10, 20, 50 ou 80% desse montante, mas sim quanto o povo investe em uma campanha nobre e útil, que é o Criança Esperança, e o quanto gasta em um programa fútil, assim como o Big Brother Brasil

Usei os verbos "investir" e "gastar" porque é exatamente assim que é: investir na criança  é garantir um futuro melhor para todos. Gastar com futilidades não nos acrescenta nada e, ao contrário, além de nos deixar no prejuízo, ainda ajuda a trazer à tona nossas tendências menos nobres.

Resultado do embate: o BBB ganhou disparado com o povão gastando R$ 100 milhões nos paredões contra os R$ 18,5 milhões investidos no Criança Esperança. Ainda que seja apenas a metade disso, é bem mais que o CE conseguiu arrecadar.

Imaginemos agora se os 30 milhões de ligações semanais fossem para investir no Criança Esperança com o valor mínimo de R$ 7,00 por ligação. Seriam R$ 210 milhões por semana que resultariam em R$ 830 milhões ao final de um mês. R$ 830 milhões!!! Quantos projetos poderiam ser financiados? Quantas crianças seriam resgatadas do "mundo cão" no qual hoje se encontram?

- "Ah! Mas no Criança Esperança são R$ 7,00 e no BBB só R$ 0,31 mais impostos!"

Realmente! Afinal, o que são R$ 0,31? Nada, não é mesmo? Entretanto, de "nada" em "nada", ou melhor, "de grão em grão a galinha enche o papo" e é isso que o brasileiro não consegue perceber. Os R$ 100 milhões que o digam!

Noto aqui que o problema talvez esteja na forma que o Criança Esperança pede as doações. Quem sabe se tivesse as opções de R$ 0,50, R$ 0,70 e R$ 1,00 e que para elas se pudesse ligar quantas vezes quisesse também se conseguisse um valor considerável.

Afinal, devem existir muitos que ligariam 10 vezes para doar R$ 0,70, sei lá. Sim, é claro que 10 vezes R$ 0,70 equivalem aos R$ 7,00, mas tem o lado psicológico da coisa, entende? É como jogar no bingo, com aquelas cartelas baratinhas. Quando menos percebemos, o dinheiro evaporou dos nossos bolsos.

Outra opção talvez fosse fazer um BBB com duração de um mês para arrecadar fundos para o Criança Esperança. No lugar de pessoas comuns, os participantes seriam celebridades. Imagina a Xuxa, Chitãozinho e Xororó, Ana Maria Braga, Luciano Huck, Faustão, Zezé de Camargo e Luciano e outros grandes nomes convivendo encarcerados naquela casa durante um mês. Não seria legal? Já imaginou quantas ligações para votar em 4 paredões? Tenho certeza que ia "bombar".

Nossa! Como sou lesado! rá rá rá rá! Cada idéia...
 
É melhor finalizar por aqui e, para uma maior reflexão, com a famosa frase de Pitágoras:
"Educai as crianças, para que não seja necessário punir os adultos."
 
 Depois adianta reclamar? Acredito que não...





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Visitantes e amigos pelo mundo